terça-feira, 6 de julho de 2010

17 - TENTANDO ENTENDER O PORQUE DE EU AINDA ESTAR SOZINHO...

A PARTE DO PROBLEMA QUE ESTÁ COMIGO, EMBORA NÃO SEJA MINHA CULPA:

Primeiro: nasci tímido e não escolhi ser assim. Essa é a meu ver uma das primeiras injustiças que a vida me colocou. Fiz o possível para melhorar e melhorei bastante sim, se comparado aos meus tempos de criança. Antes não estaria nem escrevendo este blog. Jamais falava em público, nem com estranhos a não ser que puxassem conversa comigo primeiro. C
om garotas menos ainda. Não expunha minhas opiniões na maioria das vezes e também não me defendia de deboches ou críticas por parte de outras pessoas estúpidas. Engolia sapos e às vezes baixava a cabeça como se diz. Essa é uma das razões que me fizeram perder muitas e boas oportunidades desde criança. Ainda bem que isso mudou. E não foi por causa de psicólogas, que para mim não resolvem nada a não ser fazerem perguntas cretinas e dizerem que não existe uma receita para resolver nosso caso. Digam que são elas que não tem um método eficaz ou mesmo competência por parte de algumas, que aí eu acredito! Se tem dois profissionais em quem não confio são psicólogos e políticos. E a receita para mim foi fazer oficinas de teatro, interpretação para vídeo e tv, curso de manequim e modelo e estagiar onde eu trabalho, o que me fez ter contato e falar com turmas de escolas e colégios. Prefiro um amigo para desabafar meus problemas do que uma pessoa que não conheço e que em cinco anos de curso acha que pode desvendar a vida de uma pessoa, sendo que cada um é diferente. A experiência de vida e maior maturidade me ensinaram a nunca baixar a cabeça e bater o pé até o fim quando estou certo.

Segundo: como éramos até bem mais pobres do que hoje, meus pais só conseguiram comprar um imóvel bem na periferia de Curitiba, onde naquela ocasião haviam pouquíssimos vizinhos e quase nenhuma criança da minha idade para que eu me enturmasse. Não tive ambiente para que vivesse uma infância plena, meus pais eram mais caseiros e não viajavam para muitos lugares (também por falta de dinheiro mesmo). Tem lugares que hoje eu queria muito ter conhecido e que nem mais existem. Para vocês terem uma idéia: cinema só fui conhecer devido a escola que me levou. Praias só fui pisar em uma depois de adolescente devido a um primo meu e seus amigos. A minha mãe comentou que eu não entrei em jardim de infância por causa da nossa condição financeira e devido ao fato de não haver nenhum por perto.



Outra coisa que me prejudicou muito foi o fato da minha irmã ser deficiente mental permanente. O meu amigo Marcos Antônio foi quem observou que se ela fosse normal eu poderia conhecer outras garotas através dela, pois uma sempre tem amizade com outras. Até nisso levei azar.




Teve outro motivo que me fez demorar muito para conhecer danceterias, fazer teatro e tentar a sorte jogando na loteria também: a religião dos meus pais e da maioria da minha família! Pode até ter ensinamentos bons isso ninguém pode negar, mas é contra coisas que não tem mal nenhum. Uma parte dos meus parentes ainda são bitolados com as idéias de que dançar é ir para o mau caminho, de que ser ator não é coisa de cristão e de que é errado jogar na mega sena. Queriam que eu namorasse a casasse com alguém da nossa igreja, só que esse Deus deles nunca colocou uma mulher da igreja na minha vida que me agradasse como minha mãe disse que aconteceu na vida dela. De tanto orar, esperar e nunca dar certo aos poucos fui começando a questionar certos ensinamentos e me revoltei ao ver o entrave que causaram em minha vida. Hoje nem em religião eu acredito mais e para dizer bem a verdade tenho dúvidas se existe esse Deus ou não.
Não concordo com a idéia de que é pecado dançar: em que parte da Bíblia isso está escrito? Me mostrem! Nessa mesma Bíblia tem um versículo dizendo Louvai ao Senhor com Cânticos, com danças... Nessa mesma Bíblia é citado que o Rei David dançava. Então... me expliquem isso!
Acho que não tem muito a ver essa de que cristão não pode ser artista. Não pode por quê? Disseram que eles tem uma vida promíscua, que não param com uma só mulher ou com um só homem e tal e tal. E quem disse que eu preciso ter a vida igual a deles se sempre fui diferente da maioria das pessoas? Nunca gostei de Carnaval que eles tanto criticam, não gosto agora que não sigo religião nenhuma e não vou ir com certeza de conseguir seguir a carreira de ator.
Não concordo também que é errado jogar na loteria, desde que você não fique viciado nela e deixe das suas necessidades básicas para jogar. No meu caso eu nem jogo toda semana, mais quando estão acumuladas e faço apenas uma cartela para cada. Não vão dizer que não tenho autodomínio! Já sei que pode ser que alguns fanáticos estão pensando agora: "abençoado seja o dinheiro do nosso trabalho". Se o nosso trabalho nos pagasse um salário suficiente para todas as nossas necessidades aí eu até poderia lhes dar alguma razão. Ora, todos nós sabemos que neste país poucos ganham o suficiente. O salário mínimo está longe de ser aquele que a Constituição Brasileira prega. Azar de vocês por não aproveitarem esta oportunidade! Ah, tem outra coisa que quero dizer aos fanáticos religiosos: se o dinheiro não traz felicidade me dê o seu e viva feliz!
Uma das coisas que mais me prejudica é que nasci na pior ou numa das piores cidades para se ter uma vida social: Curitiba, a capital anti-social, que além de ter um clima ruim tem um povo fechado, que faz panelinhas, não cumprimenta nem os vizinhos apesar de morarem perto há anos e te olha com preconceito se você tiver um estilo diferente que choque o seu conservadorismo. Mulheres sem iniciativa, metidas ou recatadas demais onde o homem tem que ser muito cara de pau e insistente, pois muitas ainda ficam se fazendo de difícil mesmo se estiverem a fim dele. Como se tivessem o rei na barriga e fossem mais do que as outras brasileiras.
Sobre o meu local de trabalho: não me ajuda em nada, é um ambiente universitário e não é bem o tipo de mulher que procuro. Eles têm outra cabeça e não curtem as mesmas coisas que eu, principalmente as danceterias. E não têm aquele calor humano das pessoas mais simples (claro que tem suas excessões). Não entro em sintonia com esse tipo de gente de modo algum.
Voltei a estudar no Ensino Médio de noite mas hoje em dia é difícil um jovem que tenha a cabeça no lugar e um objetivo de vida mesmo. Não querem nada com nada os alunos da noite, mesmo dando algumas pessoas mais velhas. E de manhã não pude estudar por causa do meu trampo. Vamos ver se no curso de inglês ano que vem no Colégio Estadual do Paraná vou ter mais sorte.
Festas, barzinhos e baladas? Quase sempre vou sozinho, pois quase nunca meus amigos podem ir junto. Normalmente vêm aquela resposta de não terem dinheiro e alguns não curtem. E em Curitiba principalmente se você for tímido para iniciar conversa com um estranho você irá sozinho e voltará sozinho. Se você for como eu terá que ser apresentado por alguém do grupo para poder se enturmar. O curitibano não é aberto a novas amizades como cariocas, nordestinos e outros brasileiros lamentavelmente. Aliás até desanimei de bares e festas por aqui, só vou curtir um som na Apotheose, Planeta Ibiza ou de vez em quando na Millenium porque gosto do ambiente e de algumas músicas, mesmo quando não conheço ninguém. Me divirto mais quando pedalo a Dance Bike por aí nos finais de semana.
Viagens? Agora estou investindo mais em viajar para fora de Curitiba, geralmente para outros estados, sempre procurando conhecer casas noturnas onde nunca fui, uma outra galera. E dando preferência para viagens aéreas, a nova paixão que descobri, pois pode ser que eu cruze uma hora ou outra com alguém da mídia que pode expor o meu caso em rede nacional. Até quis fazer um curso de piloto privado mas infelizmente tenho o azar de ser míope e isso me barra outra vez. Vou quase sempre sozinho o que detesto, mas se esperar companhia nunca vou conhecer lugar nenhum. Nunca ninguém está disposto ou pode, nisso tenho todo o direito de reclamar da vida sim!

Finalmente uma coisa que sempre me acompanhou e que nisso eu tenho o direito de reclamar também: minha falta de sorte! E não adianta virem me dizer que não é. Quase sempre quando eu me interessava por uma garota ela não sentia o mesmo por mim. E quando uma demonstrava interesse ela não fazia o meu biotipo. Até hoje é assim infelizmente, não tenho a sorte de encontrar a mulher certa. E não sou o tipo que fica com qualquer uma , tenho que achá-la bonita, atraente e ao mesmo tempo legal, conversadeira, alegre e que tome a iniciativa de falar comigo. Também nunca tive sorte com jogos e sorteios e nas pouquíssimas vezes que ganhei algo não era uma coisa que me fosse útil, salvo o caso único de um relógio que ganhei numa rifa. Sabe aquilo que muitos homens contam que quando viajam uma mulher bonita foi sentada do lado deles no ônibus e trocaram idéias a maior parte da viagem? Pois comigo o que acontece é que ou a poltrona do meu lado vai sozinha ou é um homem que se senta do lado na maior parte das vezes. E quando é mulher é uma senhora casada ou com criança. Numa viagem do Norte do Paraná para Curitiba há vários anos uma garota bonita de cabelos longos e escuros se sentou do meu lado. Parecia simpática mas tinha uma aliança de noiva no dedo. Na minha última viagem de ônibus a Campinas-SP fui por um percurso mais longo que passava por Ponta Grossa-PR e em que o ônibus fez muitas paradas. Subiram e desceram tanta gente. Vi uma loira de cabelos lisos bonita mas acompanhada. As outras não se sentaram do meu lado. Somente homens. Um era até gente fina e foi conversando comigo. Legal mas eu preferia uma mulher! Na volta vim de avião a jato, um AirBus A 320 da TAM. Minha primeira viagem de avião. Sozinho de novo, veio pouca gente. Mas pelo menos teve as aeromoças (comissárias de bordo) que falaram comigo e prestaram a atenção nos anúncios do meu traje de Dance Boy. Viajei de novo de avião à Porto Alegre-RS num Boeing 737 da Webjet e um senhor foi sentado do meu lado. Na volta de avião também, só aí que aconteceu um fato inédito: eu na janela e uma loira de cabelos lisos e longos se senta do meu lado e me diz bom dia. Logo em seguida uma clara de cabelos castanho escuros se senta do lado da loira (as poltronas são em grupo de três. Só que as duas pegaram no sono, coisa que não consigo fazer em aviões. A loira não devia ser curitibana pensei, talvez uma gaúcha vindo a minha cidade, porque se fosse daqui nem cumprimentaria um estranho. Foi só esta vez que me lembro que uma loira vem do meu lado. É sempre assim, sempre, posso viajar o tanto que quiser!


A PARTE QUE ESTÁ COM OS OUTROS
Primeiro que as garotas não me valorizavam, acho que nunca foram com meu comportamento. Acredito que a maioria não gosta de homens tímidos ou reservados. Pode ser que não gostem das minhas idéias também, pois muitas são diferentes da maioria. Para os ignorantes que já vem querer me malhar dizendo que com um visual destes nunca uma vai se interessar por mim eu já vou fazer aqui a eles umas perguntinhas que não querem calar:
- Se fosse por causa dele então como que antes de ter este estilo eu também não tinha sorte com elas? E já usei tanto tênis como sapato, esporte fino, jeas, social, bermudão, roupas largas, todo de preto etc. Vários estilos. Me respondam essa!
- Se eu sou estranho com este traje então como que bandidos, presidiários, traficantes e outros caras que não valem a comida que comem têm mulheres até bonitas? Eu sou menos homem que eles então?
Pois é, o problema dessa gente é julgar as pessoas pelo seu estilo, visual, condição sócio-econômica e pela primeira impressão apenas. Mas analisar os outros a fundo antes, ver o seu caráter e os seus pontos positivos infelizmente não é uma qualidade para qualquer um. No meu caso elas que não sabem me valorizar. Tem uma ou outra mulher que diz que eu tenho aparência e não entende como nenhuma se interessa. Mas noto que só ouço isso de mulheres mais velhas que eu ou casadas. Queria ver uma loirinha de cabelos lisos ou castanha que seja e de danceterias falar isso, aí sim!
E segundo é aquilo de que já falei: a maioria delas é devagar, parada demais e não chega em mim para conversar. Dizem que querem direitos iguais (somente quando é cômodo para elas) mas no entanto ficam esperando o seu parceiro como que cair do céu. Principalmente a mulher curitibana, que vive pelo que o cara vai pensar dela e não tem uma personalidade própria e inabalável. Uma boa parte delas são tímidas, nisso não posso criticar por também ser um. Mas uma outra parte tem outro defeito também além da falta de iniciativa: são orgulhosas e ficam se fazendo de difícil mesmo quando estão a fim simplesmente. E eu detesto isso, não penso como os outros caras. Admiro a mulher firme, determinada, decidida e que sabe o que quer. A vida já tem tantos problemas, para que complicar as coisas? Vamos simplificar o que pudermos!
Sobre estes dois problemas, viver em Curitiba e o fato das mulheres quererem direitos iguais e no entanto não chegarem na gente, eu estou dedicando um capítulo para cada um onde exporei mais detalhadamente as duas situações e o que penso disso (com direito a fotos que comprovam e tudo o mais). Não deixem de ler os dois que se seguem....

Nenhum comentário:

Postar um comentário